Roadrunner é uma forma de matar a saudade de Anthony Bourdain

Da tela pequena para a grande: assista ao trailer do documentário que celebra a vida de viagens e aventuras do chef

Quase três anos após a morte de Anthony Bourdain (1956-2018), o trailer de um novo documentário sobre a vida e a carreira do chef, apresentador e escritor foi lançado. Mais do que contar a história sobre como o autor de Cozinha Confidencial se tornou uma fonte de inspiração para viajantes do mundo inteiro, Roadrunner é uma forma de matar a saudade de Anthony Bourdain.

O estudo póstumo é dirigido por Morgan Neville – vencedor do Oscar com Twenty Feet From Stardom e Won’t You Be My Neighbor? – e produzido a partir do trabalho do chef na tv, além de apresentar imagens inéditas catalogadas e filmes caseiros.
.
Quem assiste ao trailer pela primeira vez leva um baque: assim como nos programas Anthony Bourdain: No Reservations, The Layover e Parts Unknown, a narração de Roadrunner é feita pelo próprio Bourdain. Confira:
.
.
Vai ser ótimo assistir. Mas não vai ser fácil.
.
A divulgação do trailer de Roadrunner: A film about Anthony Bourdain lança uma âncora ao tempo em que aguardávamos pelos episódios inéditos de seus programas. Era quando saboreávamos as melhores histórias deliciosamente traduzidas pelo seu olhar.
.
.
Roadrunner é uma forma de matar a saudade de Anthony Bourdain
Em Salvador, durante as gravações de Parts Unknown, em 2014 | Getty para CNN
.
O instinto ávido por descobertas guiava Bourdain na direção de histórias genuínas. Ele nunca se restringiu à comida. Esse tema, aliás, era um passaporte para que o apresentador desvendasse lugares, pessoas, culturas e o que aparecesse pela frente.
.
Em suas descrições, adotava palavras fluidas, entoadas com pitadas de ironia brilhante, quase um chamado que nos convidava a descobrir o mundo com ele, sentando-se ao seu lado à mesa de um restaurante estrelado ou na calçada. E de qualquer forma era bom. 

 

.
Roadrunner é uma forma de matar a saudade de Anthony Bourdain
PARTICIPAÇÕES
.
Roadrunner traz depoimentos de amigos e colegas de Tony Bourdain (“Call me Tony”, era o que ele dizia quando alguém o chamava pelo primeiro nome). É o caso de outro chef celebridade, David Chang, fundador do grupo de restaurantes Momofuku. Sobre a vida aventureira do amigo, Chang dispara logo no início do trailer: “Quase nunca se tratava de comida. Era sobre Tony aprender a ser uma pessoa melhor ”.
.
Também participam do documentário o francês Éric Ripert – chef e co-proprietário do Le Bernardin, em Nova York, amigo de longa data que conviveu com Bourdain em seus últimos dias – e Tom Vitale, produtor que passou praticamente toda a carreira trabalhando ao lado de Bourdain, em uma longa temporada de 16 anos.
.
Roadrunner é uma forma de matar a saudade de Anthony Bourdain
Bourdain e Éric Ripert em Marselha, em 2015 | CNN

Leia também:
+ Nigela e Bourdain em um dos melhores pubs de Londres
+ Como comer lámen como um japonês



.
Roadrunner é uma forma de matar a saudade de Anthony Bourdain
ALTOS E BAIXOS
.
Roadrunner é uma forma de matar a saudade de Anthony Bourdain
.
.
O tom do trailer é emocional e dá a  entender que assim será o documentário sobre Anthony Bourdain. Algumas cenas revelam o apresentador com o olhar perdido, talvez alheio à felicidade que pontuava as gravações, talvez apenas pensativo enquanto absorvia intensamente tudo à sua volta para nos contar depois.
.

Pontos cruciais da trajetória de Bourdain também serão expostos em Roadrunner, entre eles a luta diária pela própria saúde mental

.
O apresentador vivia no limite. Teve o passado marcado por bebedeiras e pelo uso de drogas, condição que ele detalhou no best seller Cozinha Confidencial (2000), com memórias sobre os bastidores do trabalho nos restaurantes. Tempos pesados que Bourdain conseguiu reverter. Recalculou a rota, evitando, talvez, a morte por overdose de heroína.


Roadrunner é uma forma de matar a saudade de Anthony Bourdain
SEM SPOILERS
.
Roadrunner é uma forma de matar a saudade de Anthony Bourdain
Reprodução Trailler Roadrunner

O início da carreira como escritor e documentarista de viagem foi a representação de um recomeço que traçava um futuro inspirador não apenas aos que viviam ao seu redor, como também para aspirantes a chefs, escritores e jornalistas de viagem e gastronomia espalhados pelo mundo.

..

.
O fim dessa história, que chocou o mundo em junho de 2018, obviamente não tem spolier – e em uma triste ironia, Bourdain adverte no trailer que não há final feliz. Como foi amplamente divulgado, ele tirou a própria vida aos 61 anos, em Kaysersberg, na Alsácia, a 500 km de Paris.

Estava em seu quarto, em um hotel 5 estrelas, Le Chambard, onde se hospedava para gravar mais um episódio de Anthony Bourdain: Parts Unknown...

Roadrunner é uma forma de matar a saudade de Anthony Bourdain
No restaurante do hotel Le Chambard: uma foto da refeição foi seu último post no Instagram | Reprodução AP

Roadrunner terá estréia mundial dia 11 de junho no Tribeca Film Festival (com ingressos esgotados) e 16 de julho nos cinemas. Em seguida, o documentário vai ser exibido no serviço de streaming HBO Max.


Roadrunner é uma forma de matar a saudade de Anthony Bourdain
ATUALIZAÇÃO DO POST

.

Com o lançamento do novo documentário sobre Anthony Bourdain nos Estados Unidos, o diretor Morgan Neville vem enfrentando uma forte (e compreensível) reação do público por ter inserido recursos de Inteligência Artificial para reproduzir a voz de Bourdain em três momentos do documentário.

Outro ponto que recebeu muitas críticas foi o fato de o diretor de Roadrunner não ter entrevistado a atriz italiana Asia Argento (a última namorada de Bourdain) para o documentário, uma vez que Asia foi duramente criticada pelos fãs do apresentador na ocasião de sua morte (e ainda hoje). Mas não vamos entrar nessa questão.

 

View this post on Instagram

 

A post shared by asiaargento (@asiaargento)

E um ótimo presente aos fãs:

Neville montou no Spotify uma playlist de mais de 18 horas com as músicas favoritas de Anthony Bourdain

De The Beach Boys a David Bowie, incluindo trabalhos de amigos como Queens of the Stone Age e Iggy Pop.

Sabe-se que o amor de Bourdain pela música e por trilhas sonoras de filmes teve uma super influência em sua atuação na televisão. Ele escolhia pessoalmente as trilhas que o acompanhavam nas viagens e nos episódios de seus programas.

Tenho ouvido longos trechos da trilha e garanto que é deliciosa.

Ouça abaixo a playlist com as músicas favoritas de Anthony Bourdain.


Roadrunner é uma forma de matar a saudade de Anthony Bourdain
NOVO LIVRO
.

Se Roadrunner é uma forma de matar a saudade de Anthony Bourdain, existe outra, tão boa quanto e já disponível: o livro World Travel, an Irreverent Guide, co-escrito com a editora Laurie Woolever, que foi sua assistente por 10 anos.
.
Recentemente lançada nos Estados Unidos, a edição em inglês já pode ser baixada para Kindle no mercado brasileiro (a versão impressa também pode ser encomendada). Clique na foto e leia um trecho generoso da obra, com direito a dicas de Bourdain para curtir o Brasil.

.
Roadrunner é uma forma de matar a saudade de Anthony Bourdain
..
The following two tabs change content below.
Roadrunner é uma forma de matar a saudade de Anthony Bourdain
Jornalista e consultora nas áreas de gastronomia e viagem, não recusa uma taça de um bom Syrah. Editora de Estilo da revista ISTOÉ Dinheiro, foi diretora de redação da revista WINE, crítica de restaurantes da revista Playboy, repórter e apresentadora na Rede Globo São Paulo e TV Cultura.
More from Luciana Lancellotti
Quinta Nova de Nossa Sra do Carmo, Douro
Para chegar à Quinta Nova de Nossa Senhora do Carmo, é preciso percorrer as...
Read More
0 replies on “Roadrunner é uma forma de matar a saudade de Anthony Bourdain”