L’Andana: brindar, namorar (e até casar)

A alameda que dá acesso ao L'Andana

Hotéis especiais, há muitos. Mas quantos são aqueles onde você abre os olhos pela manhã e se levanta, já com um sorriso começando a se formar, e respira fundo para… abrir a janela? L’Andana é assim.

Dependendo do quarto, a vista corre sobre campos forrados por vinhedos e olivais até alcançar, ao fundo, o Mar Tirreno. Posso dizer que foi um dos lugares mais especiais onde me hospedei. E isso nada tem a ver com luxo – até porque a proposta do lugar não é essa.

Tem a ver com detalhes, com o clima e, sobretudo, com a localização –  a 10 minutos de carro de  Castiglione della Pescaiacidade costeira toscana que faz parte da região de Maremma. Algo, assim, entre o mar e as colinas, a 160 km de Florença.

O acesso à propriedade – uma  antiga (e nobre) casa de campo construída no séc. XIX  – acontece por meio de uma alameda de ciprestes e pinheiros que se estende por quase um quilômetro. Para você ter ideia de quão incrível é essa alameda, posto abaixo a única foto de divulgação deste post porque, bem, não consegui sobrevoar o hotel para repetir esse ângulo. 😛

L'Andana: brindar, namorar (e até casar)

A área total se distribui por 500 hectares – 50 deles de olivais e 30 de vinhedos. Chegando, a primeira impressão não poderia ser diferente: a de estar em uma antiga villa.

L'Andana: brindar, namorar (e até casar)
Fotos: Luciana Lancellotti

Tons discretos, ambientes amplos, janelas altas e azulejos de terracota ajudam a criar a atmosfera informal. A ideia é fazer o hóspede se sentir em casa, cercado de muito conforto, mas sem nenhum tipo de afetação.

O layout foi muito bem pensado para reproduzir esse clima agradável e despojado, com sofás de veludo e de couro, lustres vistosos, móveis com design antigo e cortinas em cores quentes.

L'Andana: brindar, namorar (e até casar)
Fotos: Luciana Lancellotti

Os apartamentos (33 ao todo) são muito espaçosos e seguem a proposta de rusticidade elegante dos demais ambientes. Esses quartos e suítes estão divididos em dois prédios, separados por um jardim de inverno.

O atendimento, muito acolhedor, é outro ponto forte do lugar.

L'Andana: brindar, namorar (e até casar)
Fotos: Luciana Lancellotti

O hotel nasceu na primavera de 2004, fruto de  uma parceria entre o chef monegasco Alain Ducasse com o empresário italiano Vittorio Moretti, construtor, fabricante de barcos e um dos pioneiros na produção do Franciacorta – espumante de excelente qualidade, elaborado pelo método clássico em Brescia, na Lombardia.

Ducasse esteve à frente do restaurante local, La Trattoria (1 estrela Michelin), até o início de 2016, quando passou seu comando para o jovem chef Enrico Bartolini, que já conquistou duas estrelas Michelin no Mudec, em Milão. O restaurante do L’Andana passou, então, a se chamar La Trattoria Enrico Bartolini.

A linha é basicamente a mesma: ingredientes genuínos da terra e do mar formam a base para a cozinha toscana contemporânea. A carta, com 150 rótulos, privilegia vinhos produzidos nas vinícolas da família Moretti: Tenuta La Badiola (que produz vinhos a partir das videiras cultivadas na propriedade) e Petra Winery, a 60 km do hotel.

MÃO NA MASSA
Se aqui tudo gira em torno de gastronomia e vinhos, os hóspedes também são convidados a participar de workshops com os chefs (aqui não é roubada, juro). Pude participar de uma dessas aulas e, olha, a massa que preparei não deixou a desejar, não.

L'Andana: brindar, namorar (e até casar)
Aglio, olio e peperoncino; ravióli de ricota com espinafre e tortino di cioccolato con cuore fondente | Fotos: Luciana Lancellotti/Arquivo pessoal

E já que este post foi aberto em clima de Buongiorno principessa, devo confessar que o tal sorriso espalhado no meu rosto pelas manhãs era, em parte, motivado pela expectativa de outro prazer matinal: o café da manhã servido no L’Andana.

Os itens ficam dispostos na própria cozinha, informalmente, para que os hóspedes entrem e se sirvam à vontade, como se estivessem em casa.

No primeiro dia, você entra naquela de “com licença”, ainda meio que se familiarizando com o ambiente, e encontra a mesa farta, com pães, bolos e doces caseiros, geleias e queijos artesanais, ovos preparados de diferentes formas na sua frente e a manteiga, belissima, disposta bem rusticamente, em grande quantidade.

No segundo dia, você já se sente de casa. Nesse ritmo, o fogão de ferro fundido não cessa e você pode imaginar o perfume que evapora dali.

A ideia é apreciar la colazione no terraço com vista para o campo e a capela, diminuta. Nos dias mais quentes, o ideal é aproveitar as mesas do próprio jardim.

L'Andana: brindar, namorar (e até casar)
Fotos: Luciana Lancellotti

Por falar em capela, é nela que acontecem os casamentos no L’Andana, com opção de fechar o hotel para os convidados. Barato, não é. Mas só em pensar nos valores exorbitantes que os casamentos atingiram no Brasil, é bem possível considerar algo bem mais íntimo, charmoso e, sim, menos caro.

E na Toscana, meu bem.

L’Andana Tenuta La Badiola
Località Badiola, 58043
Castiglione della Pescaia GR
Itália

The following two tabs change content below.
L'Andana: brindar, namorar (e até casar)
Jornalista e consultora nas áreas de gastronomia e viagem, atualmente diretora de redação da revista Wine.com.br, publicação sobre vinhos de maior tiragem do Brasil. Foi crítica de restaurantes da revista Playboy, repórter e apresentadora na Rede Globo, Record e TV Cultura.
L'Andana: brindar, namorar (e até casar)

Latest posts by Luciana Lancellotti (see all)