Cidade de Bordeaux: guia de viagem

Natureza e velos
Foto: Turismo de Bordeaux

A cidade de Bordeaux é um dos poucos lugares onde eu seguramente viveria e trabalharia feliz. É uma espécie de Pequena Paris, com charme histórico, vigor universitário e muuuitos restaurantes. Pra todo tipo de bolso.

Fora o fato de estar a meia hora de carro de uma das principais regiões vinícolas do mundo e de não contar com a presença ostensiva de turistas.

Banhada pelo Rio Garonne, a cidade de Bordeaux pode ser definida por superlativos. É a maior da região da Nova Aquitânia e a sexta maior da França. Já dizia Sthendal que Bordeaux é “a segunda cidade mais bonita do país”.

Também: Bordeaux tem o maior número de monumentos preservados depois da capital francesa e a maior concentração de restaurantes per capita da França.

A movimentação mais vibrante da cidade de Bordeaux é produzida pelo vaivém de estudantes, que agita a cidade produzindo um sopro de jovialidade sobre um cenário que respira história. 

Os caminhos são traçados por uma combinação adorável de avenidas, ruelas, monumentos e praças seculares. Além dos restaurantes e bistrôs, espalham-se por estes endereços um sem-número de cafés, lojas, antiquários e galerias de arte.

De um ponto a outro

Embora as distâncias não sejam exatamente curtas, os passeios, em boa parte, podem ser feitos a pé ou pedalando-se as indefectíveis vélosA cidade é plana e conta com uma rede de ciclovias respeitável. Assim como acontece em Paris, paga-se um valor ao usar uma bicicleta e a quantia é ressarcida depois de 7 dias da devolução da bike (a primeira meia hora de uso é gratuita).

Já para os pontos mais afastados, lá estão os tramways da Citadis, os chamados bondes modernos, que deslizam silenciosamente por 58,9 km de linhas.

A R Q U I T E T URA  E  I L U M I N I S M O

Em 2007, o centro histórico da cidade de  Bordeaux foi declarado Patrimônio Mundial pela UNESCO. A região concentra um verdadeiro tesouro arquitetônico. Pouca gente sabe, mas depois de Paris, Bordeaux é a cidade francesa com o maior número de monumentos preservados – são mais de 347 edifícios listados.

Caminhar pelas ruas bordalesas e observar suas construções é poder também contemplar o urbanismo que reflete o triunfo dos ideais dos filósofos do Iluminismo. O movimento europeu de intelectuais do século XVIII aspirava transformar as cidades em cubas do humanismo, da universalidade e da cultura.

Sendo assim, vale  tirar uma tarde para flanar pela cidade de Bordeaux e observar a história conservada em suas construções.

A   N O V A   C A R A   D E   B O R D E A U X

Dona de uma respeitável história iniciada pelos idos de 300 anos a.C., a cidade de Bordeaux atravessou os últimos séculos escondida sob as fachadas cansadas e cinzentas das construções erguidas com pedras calcárias, sensíveis às condições climáticas locais.

Hoje, clara e iluminada, a cidade parece ter redescoberto o belo tom ocre iluminado original de seus edifícios.

O responsável por esse despertar foi Alain Juppé, Primeiro Ministro durante o governo de Jacques Chirac e prefeito de Bordeaux entre 1995 e 2004 e, novamente, de 2006 até hoje (2016).

Foi Juppé quem deu início a um imenso processo de revitalização do centro, incluindo a reintrodução dos tramways.

C O M P R A S  

Na última década, a cidade viu multiplicar sua oferta de lojas e restaurantes contemporâneos. 

Na rua Sainte Catherine, um dos maiores bulevares comerciais da Europa, estão lojas como Fnac e H&M. Já as grifes mais caras se avizinham na região conhecida como Triângulo Dourado, que compreende a Cours de L’Intendance, a Cours Georges Clemenceau e Allées De Tourny.

Para antiguidades, os destinos são as ruas Notre Dame e Bouffard, com 25 lojas especializadas.

Comer Bem

Quando o assunto é gastronomia, Bordeaux, com seus quase 240 mil habitantes, contabiliza o maior número de restaurantes per capita da França.

Brasseries, cafés, bistrôs, pâtisseries e boutiques de queijo se espalham por toda a cidade. Pudera. Se os vinhos ancoram o prestígio da região, a gastronomia local trata de harmonizar de forma exemplar suas especialidades, muitas delas consideradas ícones internacionais do sabor.

Por isso mesmo, vai ser difícil passar por aqui sem dar boas garfadas em peculiaridades gastronômicas como o foie gras dos Landes, o entrecôte à la bordelaise, o confit de ganso com cogumelos e o gratin de peras de Sauternes.

Além de, claro, os tradicionais e inevitáveis bolinhos doces conhecidos como canelés, onipresentes nas vitrines mais doces da cidade de  Bordeaux.

DOCES ÍCONES

Dourados e delicados, os canelés têm massa preparada com gemas, manteiga e leite. A textura é úmida, graças a uma calda caramelizada com aroma de baunilha e rum.

Os canelés foram criados pelas freiras, para evitar o desperdício de gemas não utilizadas durante a filtragem dos vinhos

Não é por acaso que os canelés estão entre os ícones culinários da cidade de  Bordeaux: a tradição de seu preparo está intimamente ligada à história do vinho na região.

Como antigamente os vinhos demandavam uma grande quantidade de claras para serem filtrados nas barricas, as gemas eram doadas a irmãs de caridade. Para evitar o desperdício das gemas, as freiras trataram de criar a receita dos canelés.

O nome dos bolinhos, aliás, se deve à assadeira de cobre canelada onde são assados.

Caminhando pela cidade, você vai deparar com várias lojas da Baillardran. Pode entrar e comprar, sem medo: é um dos melhores lugares para apreciar os canelés.

RESTÔS E BISTRÔS

Para um bom almoço ou jantar, não deixe de conhecer La Tupina, que já foi eleito o segundo melhor bistrô do mundo pelo jornal International Herald Tribune (hoje International New York Times).

É fácil entender a dinâmica do lugar, que tem vários ambientes: uma lareira é o centro do restaurante e tudo acontece em torno dela. Sopas, assados, aves, cordeiros, entre vários outros pratos muito reconfortantes são preparados ali.

Não é dos lugares mais em conta em Bordeaux, mas a atmosfera é milimetricamente pensada para parecer rústica, com peças de embutidos expostas e prateleiras repletas de conservas.

O resultado é uma atmosfera muito aconchegante, que atrai clientes ilustres, como o ex-presidente francês Nicolas Sarkozy e o prefeito, Alain Juppé. Vale muito conhecer.  

Outro lugar bacana para para uma refeição despretensiosa ou um jantar mais gastronômico é Le Gabriel, restaurante com a melhor localização na cidade.

O local reúne três propostas em um belo prédio do século XVIII, em frente ao icônico espelho d’água da Place de la Bourse.

  • No térreo, funcionam café e bar.
  • Na cervejaria do andar superior, são servidos pratos típicos da cozinha de bistrô.
  • E no terceiro piso, o restaurante harmoniza a ótima gastronomia regional com seus icônicos vinhos.

Quando estive lá, a cozinha era comandada pelo chef François Adamski, mas recentemente foi assumida por Nicolas Frion. A proposta, porém, continua a mesma: menu clássico com toques criativos, explorando ao máximo ingredientes da estação.

Pães e queijos

PÃO PÃO, QUEIJOQUEIJO

Vamos direto ao que interessa: 0s melhores pães de Bordeaux são preparados na La Fabrique Pain et Bricoles, que também oferece uma ótima seleção de madeleines.

A massa dos pães tem qualidade excepcional, incrementada com ingredientes como azeitonas, espinafre, ricota, tomates, entre muitos outros. Recentemente eles passaram a oferecer pratos to-go na rua de trás da boulangerie, que aparece nesta primeira foto:

E atenção amantes dos queijos: Bordeaux conta com quase 50 boutiques especializadas, muitas delas de vanguarda, com instalações para maturação e comércio.

E é para se entregar mesmo, já que na cidade estão as fromageries de nomes emblemáticos como Pascal Beillevaire e Jean d’Alos, considerado o melhor afinador de queijo da França.

Fotos: reprodução

ONDE FICAR

HOTEL BURDIGALA MGALLERY BY SOFITEL

Confortável e elegante, La Burdigala é um 5 estrelas com atmosfera de hotel-boutique, a poucos passos do centro histórico da cidade de  Bordeaux.

O restaurante local, La Table de Burdigala tem pratos preparados com apuro e carta com excelentes crus bordaleses.

INTERCONTINENTAL BORDEAUX LE GRAND HOTEL

Luxuoso, o Grand Hôtel de Bordeaux é um ícone na cidade, instalado em um edifício de 1779. A localização é privilegiada: na Place de la Comédie, em frente ao Grand-Théâtre, no coração da cidade.

Dois restaurantes do hotel fazem parte do portfólio do chef superstar britânico Gordon Ramsay:  Le Bordeaux Gordon Rasay, que é uma brasserie, Le Pressoir d’Argent. Este último (1 estrela no Michelan) valoriza a gastronomia regional clássica – aqui, aliás, se prova um irrepreensível foie gras dos Landes. No comando está o chef israelense Gilad Peled.

O nome Le Pressoir d’Argent faz referência à raríssima Lobster Press (na foto, com Gordon Ramsaywww.opera-bordeaux.com). Trata-se de uma prensa confeccionada em prata pela Christofle, utilizada para extrair o suco da lagosta, servido junto com a carne do crustáceo.

E, olha, a engenhoca faz e acontece: existem apenas cinco no mundo!

O luxo está também em outros detalhes, como os talheres de prata exclusivos e a porcelana Bernardaud, produzida há séculos em Limoges pela mesma família.

TGV

A partir da capital francesa, a duração da viagem de TGV para a cidade de Bordeaux é de 3h15. Os tickets para o trecho Paris-Bordeaux-Paris podem ser adquiridos pela Rail Europe. www.raileurope.com
The following two tabs change content below.
Cidade de Bordeaux: guia de viagem
Jornalista e consultora nas áreas de gastronomia e viagem, atualmente diretora de redação da revista Wine.com.br, publicação sobre vinhos de maior tiragem do Brasil. Foi crítica de restaurantes da revista Playboy, repórter e apresentadora na Rede Globo, Record e TV Cultura.
Cidade de Bordeaux: guia de viagem

Latest posts by Luciana Lancellotti (see all)